UM POUCO DE HISTÓRIA

Corriam os primeiros dias de 1981. Era o princípio de um sonho que tinha como propósito dedicar-se à educação da filha, sobrinhos, sobrinhas, entregando-lhes o melhor de si mesma. Refazer os caminhos das tias Zeza e Iazinha, na chácara de tamarindeiros centenários. Tempo de guardar os diplomas de urbanista pela Université de Créteil França; de arquiteta pela Universidade Federal da Bahia; de resgatar o passaporte e os ensinamentos ministrados pelo Instituto Central de Educação, ICEIA, dirigido, com mãos firmes, pela Profa. Teodolina, fonte de inspiração. Uma decisão corajosa, apoiada por aqueles que compreenderam sua determinação. Nascia a Escolinha do Sol. Do Sol porque entendia a educação como a maior fonte de energia para a vida social. Os parentes e amigos mais próximos vivenciaram também o sonho. Em seguida, ajuntaram-se os amigos dos amigos, dos amigos… A Escolinha foi crescendo, se firmando, ganhando personalidade.

Dez anos depois, por desejo e imposição dos pais, a Escolinha transformou-se em Colégio para atender alunos mais velhos nos níveis do Ensino Fundamental I e II e, posteriormente, do Ensino Médio. A palavra Sol passou a ser escrita em grego e o Colégio Helyos foi implantado ano após ano. Já na primeira turma, concluintes do Ensino Médio em 2001, os alunos foram aprovados nas melhores universidades do país. Uma meta estabelecida desde o início e alcançada com muito orgulho. Hoje, se desejarem, ingressam nas melhores universidades do exterior. Alguns já conseguiram, consagrando, assim, o lema: Colégio Helyos, abrindo portas para o mundo.

Profa. Maria Luiza Santana Soledade, Tia Iza, sonhou um sonho possível. Muitos acreditaram e acreditam nesse sonho. Dele fazem parte, seja como protagonistas, apoiadores ou entusiastas.

Um sonho que se sonha sozinho é apenas um sonho.
Quando se sonha juntos, é começo de uma realidade.

Miguel de Cervantes em Dom Quixote de La Mancha